Instituto do Câncer promove ação no metrô sobre o Novembro Azul

portalnbo
portalnbo
5 Min Read



Ação faz parte da programação da Instituição para o mês de conscientização sobre o câncer de próstata e saúde do homem



No Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, 17 de novembro, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, realiza ação na estação Ana Rosa do Metrô em alerta à conscientização sobre o câncer de próstata e a saúde do homem.

A iniciativa faz parte da programação especial para o Novembro Azul, organizada com o intuito de alertar a população não apenas sobre o câncer de próstata, mas também sobre outros tumores que podem acometer o sistema geniturinário masculino como o de pênis, testículo, rim e bexiga. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o tipo mais comum no sexo masculino (exceto o câncer de pele não-melanoma). Estima-se que tenha atingido 65.840 pessoas em 2020 no Brasil, correspondendo a 29,2% dos tumores incidentes entre os homens.

O aumento nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida. Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, porém, cresce de forma lenta e pode não dar sinais de sua presença.

Na ação, a equipe multiprofissional do Instituto abordará o público com folders explicativos sobre o tema da campanha, principais tipos de tumores e quais os sintomas e sinais do corpo que podem ser motivo de alerta, com o objetivo de inserir o debate acerca da saúde integral do homem.

“A campanha do Novembro Azul começou como uma ação voltada ao câncer de próstata, e hoje engloba todas as questões que envolvem a saúde do homem, para que possamos promover a saúde masculina”, diz o Chefe do Grupo de Tumores Geniturinários da Oncologia Clínica do Icesp, Dr. José Maurício Mota.

O Chefe Médico da Equipe de Urologia do Icesp, Dr. Maurício Cordeiro, ressalta que “é importante orientar o homem sobre a necessidade de preocupar-se com a saúde, da relevância de um diagnóstico precoce, uma vez que algumas doenças, além do câncer de próstata, têm maior incidência no sexo masculino. A conscientização, prevenção e diagnóstico precoce, auxiliam no aumento da sobrevida nos casos de doenças graves”, diz.

O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não provoca sintomas, enquanto em estágio avançado pode causar alguns:

– Micção frequente;– Fluxo urinário fraco ou interrompido;– Vontade de urinar frequentemente à noite;– Sangue na urina ou no sêmen;– Disfunção erétil;– Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou;– Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.

Fatores de risco

Vale lembrar que fatores de risco aumentam as chances de desenvolver câncer, mas isso não quer dizer que você vai obrigatoriamente ter câncer de próstata.

Idade: é o fator de risco mais importante. A maioria dos pacientes tem mais de 50 anos e dois terços têm mais de 65 anos. O risco vai aumentando, à medida que o homem envelhece.

Histórico familiar: o risco é maior quando parentes próximos, especialmente pai, irmão, avós, tios ou filhos que têm ou tiveram câncer de próstata, especialmente se eram jovens na época do diagnóstico.

Alimentação: uma dieta gordurosa, especialmente com gorduras de origem animal, com alto teor de cálcio, pode aumentar o risco e uma alimentação rica em legumes e frutas pode reduzir esse risco.

Ricardo Macario

PUBLICA

Share this Article
Leave a comment
YGYGYGYGYGYGYGY (Copia)